O Co-Director da Academia Diego Rodríguez-Pinzón apresenta o Presidente da Associação de Ex-Participantes Juan Pablo Albán no almoço de premiação de 2006.

Bem-vindos à Associação de Participantes da Competição!

Esta página tem como objetivo estabelecer e manter um espaço para o contato entre todos os membros da Associação de Participantes da Competição de Julgamento Simulado do Sistema Interamericano de Direitos Humanos.

Nosso alvo é continuar desenvolvendo laços duradouros entre os participantes da Competição que se mantenham mesmo após a entrega de seus memoriais e a aapresentação de seus argumentos orais. Os ex-participantes da Competição têm terminado seus estudos profissionais e criado organizações sem fins lucrativos, incorporado-se a novos organismos e comissões estatuais de proteção dos direitos humanos e agora são encarregados das cátedras de direitos humanos, ensinando-o à futuras gerações da região.

Por meio desta página de Internet, lhe convidamos a manter-se em contato, à medida que o grupo de ex-participantes cresce. Pretendemos informar os ex-participantes e mantê-los em contato com participantes novos e antigos. 

Acompanhe-nos em nossos esforços de incentivar os estudantes de Direito a questionarem o status quo e utilizarem seus conhecimentos jurídicos para combater as violações de direitos humanos.

Inscreva-se

DIRETORIA!

Diretoria 2014-2015 da Competição de Julgamento Simulado do Sistema Interamericano de Direitos Humanos:

Presidente: Felix Humberto Paz Moreno

Felix Humberto Paz Moreno é panamenho, Licenciado em Direito e Ciências Politicas pela Universidade de Panamá, e advogado da Sala Quarta de Negócios Gerais da Corte Suprema de Justiça do seu país. Participou da Competição de Julgamento Simulado do Sistema Interamericano de Direitos Humanos, organizada pela American University Washington College of Law em varias ocasiões, sendo orador em 2011, instrutor em 2012 e Juiz em 2013 e 2014. Também foi instrutor na Competição Eduardo Jimenez Aréchaga, da Costa Rica, em 2011. Por outro lado, Paz Moreno também participou no programa Semilleros del Derecho Procesal do Instituto Colombiano de Direito Processual em Cartagena de Índias em 2010 e em Bogotá em 2011. Publicou vários artigos como autor e co-autor, como por exemplo, “La Oralidad em el Proceso Civil”, publicado em “Memorias del VII Congreso panameño de Derecho Procesal del Instituto Colombo-Panameño de Derecho Procesal” e a Revista Universitas N° 7 ano 2010 da Universidad Javeriana de Colombia. Escreveu sobre as Causais do Recurso de Cassação Penal no Sistema Penal Acusatorio em um estudo de Direitos Humanos. Atualmente exerce a profissão de advogado em Direitos Humanos, Direito Processual Penal e Contencioso – Administrativo, e no campo acadêmico, esta fazendo dois mestrados, um deles em Direito Processual e o outro em Direito Penal. No primeiro, sua tese de pós-graduação tem como tópico o Controle de Convencionalidade na jurisprudência da Corte Interamericana de Direitos Humanos. Finalmente, Paz Moreno é professor assistente na Universidade de Panamá na matéria de Direito Processual Penal.


Primero Vice-President: Santiago Medina Villarreal

Santiago Medina Villarreal, colombiano, ex-participante (2004), instrutor (2005 – Semifinalistas 2014) e juiz (2008), juiz de memoriais (2007, 2008 e 2009) da Competição de Julgamento Simulado do Sistema Interamericano de Direitos Humanos da American University Washington College of Law. Juiz (2006 – 2009) da Competição Internacional Eduardo Jimenez de Aréchaga (Costa Rica). Secretario da Comissão Diretiva da Associação de Ex-participantes (2010 – 2011). Foi advogado da Secretaria da Corte Interamericana de Direitos Humanos (2006 – 2010). Possui formação pôs-gradual nas áreas de direito penal, direitos humanos e filosofia. Com mais de oito anos de experiência profissional na administração de justiça (internacional e nacional), responsabilidade por abusos passados, memoria histórica e impunidades por abuso na proteção e reparação de violações graves aos direitos humanos. Consultor de agencias de cooperação internacional (v.g. GIZ, Instituto Interamericano de Direitos Humanos) e organizações de sociedades cíveis (v.g. Centro de Direitos Humanos University of Washington, Centro Nacional de Memoria Histórica – Colômbia). Experiência em litígios de casos de violações de direitos humanos. Docente universitário de direito publico, direitos humanos, direito penal internacional, direito internacional humanitário e investigação sócio jurídica.

 

Secretario: Jose Antonio Morales Notario

Nascido em Villahermosa, Tabaso, México. E licenciado em Direito, graduado da Universidad Juarez Autônoma de Tabasco (UJAT) do México com a tese: “Os Trabalhadores Mexicanos Indocumentados nos Estados Unidos”. Possui Mestrado em Administração de Justiça, obtida com o trabalho de investigação “O pago da reparação do dano nos delitos patrimoniais como uma forma de extinção da ação penal, a pesar da negativa da vitima de outorgar perdão, especificamente no delito de danos.” Atualmente e candidato a Doutor e prepara sua tese intitulada “Revisão da Pena de Reparação de Danos”.

E professor investigador de tempo completo na UJAT, onde trabalha faz mais de 21 anos e onda tem ensinado as matérias de Direito Processual Cível, Direito Administrativo, Direito Internacional Publico e Privado, Meios Alternativos de Solução de Conflitos, entre outras matérias. Fala italiano e inglês.

Trabalhou na Comissão Estatal de Direitos Humanos de Tabasco como Diretor de Comunicação Social, Coordenador de Seguimento de Queixas e Recomendações, Diretor de Orientação e Queixas e Visitante Adjunto. Foi chefe de Pôs-grado e Coordenador de Investigação e Pôs-grado da Divisão Acadêmica de Ciências Sociais e Humanidades da UJAT e Titular no seu escritório de advocacia. Atualmente e chefe da área jurídica da Coordenação de Transparência e Aceso a Informação do Município de Centro, Tabasto, triênio 2013-2015.

Participou como assessor nas edições de 2010 e 2011, e como juiz em 2014, na Competição de Julgamento Simulado do Sistema Interamericano de Direitos Humanos, organizado pela American University Washington College of Law. Também participou como Juiz na Competição “Eduardo Jiménez Arrechaga” organizado pela Associação Costarriquense de Direito Internacional e a Corte Interamericana de Direitos Humanos em 2012.

Tem oferecido varias conferencias e cursos sobre direitos humanos. Em 2013 participou de uma Investigação em Chicago, Illinois, EUA; publicou vários artigos em temas relativos à transparência e acesso a informação publica; pago da reparação do dano em processos penais, violência de gênero, etc.

Atualmente, junto com outros colegas, desenvolve diversos projetos dentro dos quais destacam: “A função das Cortes Defensoras de Direitos Humanos em sua luta pela igualdade de Gênero”; “A igualdade de gênero na educação virtual”; entre outras.

 

Tesoureiro: Felipe Franco Gutierrez

Felipe Franco Gutierrez e advogado colombiano, graduado da Pontifícia Universidad Javeirana, com estudos de especialização em Direito Administrativo na mesma instituição. Durante sua carreira de direito, participou da Competição Iberoamericana de Direitos Humanos “Francisco Suarez S.J”, organizada pela Universidad Javeriana em 2008, e posteriormente participou da Competição Interamericana de Direitos Humanos em 2009.

Professor assistente nas matérias de Direito Internacional Publico e Direito Internacional de Direitos Humanos, no Colegio Mayor de Nuestra Señora del Rosario, e na Pontificia Universidad Javeriana. Fez diferentes trabalhos de investigação, colaborando em publicações do Centro de Estudos de Direito Internacional Francisco Suares S.J e da Fundacao para o Devido Processo Legal (DPLF).

Recentemente trabalhou como assessor jurídico da Direcao de Direitos Humanos e Direito Internacional Humanitario do Ministerio de Relacoes Exteriores da Colombia, ajudando nos procedimentos de medidas cautelares e provisionais perante o Sistema Interamericano de Direitos Humanos por parte do Estado colombiano.

Atualmente esta fazendo curso de mestrado em Relacoes  Internacionais na American University, School of International Service.

Caso haja dúvidas ou sugestoes que possam contribuir para melhorar o trabalho da Associação de Participantes e a Competição em si, por favor, não hesite em contactar-nos no e-mail: participantassociation@gmail.com.

É possível, também, manter-se atualizado por meio da página da Associacao no facebook.

 

Juntas Diretivas Anteriores

Junta Directiva 2013-2014

Presidente: Andrea Rodriguez Zavala

Primeiro Vice-President: Eduardo Brito

Segundo Vice-President: Marcelo Alberto Lopez Alfonsin

Secretário: Andres Gonzalez Serrano

Tesoureiro: Raul Fernando Núñez Marín

Junta Diretiva 2011-2012

Presidente: Namiko Matzumoto
Primeiro Vice-President: Laura Alicia Camarillo
Segundo Vice-President: Mildred Lissette Hernandez
Secretário: Jose Lemus
Tesoureiro: Javier Galindo

Junta Diretiva 2010-2011

Presidente: Daniel Andrés Salamanca Pérez
Primeiro Vice-President: Ana Priscilla Ortíz Saborío
Segundo Vice-President: Chacel Colorado Piña
Secretário: Santiago Medina
Tesoureiro: Marianna Belalba

Junta Diretiva 2009-2010
Presidente: María José Veramendi Villa
Primeiro Vice-President: Juan Carlos Arjona Estévez
Segundo Vice-President: Jorge Calderón Gamboa
Secretário: David Cordero Heredia
Tesoureiro: María Daniela Rivero K

Junta Diretiva 2008-2009
Presidente: Ángela Ramírez
Primeiro Vice-President: Carlos Bernal
Segundo Vice-President: David Cordero
Secretário: Santiago Pérez Calderón
Tesoureiro: Karlos Castilla e Adolfo Sánchez Alegre*
*O periodo de 2008-2009 conta com dois tesoureiros, pois houve um empate entre dois candidatos e o Estatuto não estabelce o procedimento a ser adotado neste caso.

Junta Diretiva Fundadora 2006-2008
Presidente: Juan Pablo Albán
Vice-Presidente: Julio José Rojas
Secretário: Nelson Camilo Sánchez

 

PRÊMIOS

“Contribuições Extraordinárias para a Competição” Prêmio 2011: Adolfo Sanchez Alegre


Vencedores Anteriores do prêmio para “Contribuições Extraordinárias para a Competição”:


“Contribuições Extraordinárias para a Competição” Prêmio 2010: Namiko Mazumoto Benitez

Namiko Mazumoto Benitez é provavelmente uma das pessoas mais frequentes na competição desde 1998, quando representou a Universidad Veracruzana, onde leciona. Sra. Matzumoto é uma técnica em contabilidade formada pelo Centro de Estudio Tecnológicos número 13 em Xalapa, Veracruz, é formada em direito pela Universidad Veracruzana, possui um mestrado em Psicologia e Criminologia Jurídica pelo Instituto Universitario de Puebla e um doutorado por esta mesma instituição, no Campus de Xalapa. Sra. Matzumoto foi a Orientadora da Equipe de sua universidade em 2002 e 2003 e participa como juíza desde 2004. Atualmente, é chefe da Unidade de Comunicação do Tribunal Administrativo do Estado de Veracruz, pesquisadora em tempo integral na Direção Geral de Pesquisa da Universidad Veracruzana e leciona sobre o Sistema Interamericano de Direitos Humanos e Direitos Humanitários Internacionais na faculdade de direito, desta mesma universidade. Todos os participantes julgados por ela notam seu enorme conhecimento sobre os Sistemas Universal e Interamericano, assim como seu conhecimento em Direitos Humanitários Internacionais. Fora do tribunal, Namiko se tornou uma amiga querida dos participantes e orientadores, assim como dos juizes e diretores da Academia.

“Contribuições Extraordinárias para a Competição” Prêmio 2009: Dr. David S. Berry

Dr. David S. Berry é professor titular da Faculdade de Direito da Universdade do West Indies (UWI), Campus de Cave Hill em Barbados. Ensina o curso geral de Direito Público Internacional, cursos especializados em Direito de Integração do Caribe, Direito de Organizaçoes Internacionais e Julgamentos Simulados Internacionais. Dr. David atua na área de Direito Humanos Interamericanos, Direito de Comunidade do Caribe, Arbitagem de Investimento e Direito Marítimo.

Dr. Berry participa da Competição de Julgamento Simulado do Sistema Interamericano de Direitos Humanos desde 1999 (com exceção de dois anos, quando se encontrava no exterior). Ele participou de sua primeira competição como um observador, e foi convencido imediatamente a trazer equipes de estudandes. A Universidade de West Indies envia duas (2) equipes todos os anos, pois representa toda a região do Caribe. Atualmente, a Universidade serve a 16 diferentes países ou territórios nas Índias Ocidentais: Anguilla, Antigua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Belize, Bermuda, Ilhas Virgens Britânicas, Ilhas Cayman, Dominica, Granada, Jamaica, Montserrat, St. Cristóvão/Nevis, St. Lucia, St. Vincent e Granadinas e a República de Trinidad e Tobago. A seleção para as equipes da UWI é altamente competitiva, com base em defesas orais e escritas, aberta para todos os estudandes de segundo e terceiro ano. Dependendo da composição das equipes, a tendência é de se formar uma equipe representando o Leste e outra o Oeste das regiões caribenhas. Embora os membros das equipes da UWI recebam treinamento básico durante a participação no curso de Julgamento Simulado Internacional, os estudantes se deparam com o desafio de aprender a jurisprudência Interamericana praticamente por conta própria, e sem o luxo de muitos textos em língua Inglês. Mas a participação dos estudantes da UWI na competição tem propagado o conhecimento de direitos Interamericanos e de direitos humanos de maneira geral no Caribe. Participantes de competições anteriores se entusiasmaram tanto com a jurisprudência Internamericana que, hoje, dedicam um parte substancial de sua prática legal a direitos humanos. Isto é tremendamente importante para o Commonwealth do Caribe, onde, embora haja uma jurisprudência forte em direitos constitucionais, não há uma grande consciência dos direitos humanos internacionais ou do sistema Interamericano de direitos humanos. Dr. Berry foi profundamente influenciado por sua experiência na competição. Os anos de atuação como orientador de equipes aumentaram sua consciência sobre a complexidade do direito Interamericano de direitos humanos e, ainda, deu-lhe o privilégio de poder dispor destes conhecimentos em litígios perante a Corte Interamericana de Direitos Humanos.

“Novato do Ano” Prêmio 2011: Pontificia Universidad Católica Argentina


“Novato do Ano” Prêmios Anteriores:


“Novato do Ano” Prêmio 2010: Universidad Icesi de Cali (Valle) Colombia
“Novato do Ano” Prêmio 2009: Universidade Federal do Rio de Janeiro
“Novato do Ano” Prêmio 2008: Universidad Católica de Colombia
“Novato do Ano” Prêmio 2007: Universidad Interamericana de Puerto Rico
“Novato do Ano” Prêmio 2006: Universidad de La Sabana (Colômbia)